Em risco de não pagar os Créditos? Conhece o caso do Sr. João

CRÉDITO CONSOLIDADO – Caso Real

Como o Sr. João reduziu o valor da prestação dos créditos em 5 dias.

O Sr. João chegou à Dona Poupança através de um amigo, que já era cliente, e que recomendou o serviço.

Quando ligou pela primeira vez, o Sr. João indicou que, devido a uma situação de desemprego prolongado, teve que recorrer a alguns cartões de crédito para conseguir pagar as despesas do dia-a-dia. E, mesmo agora que já tinha voltado a trabalharestava na eminência de deixar de pagar os créditos que tinha. 

Situação quando contactou a Dona Poupança:

TIPO DE CRÉDITO Montante em dívida Prestação
Crédito Pessoal 10 000 € 250 €
Cartão de Crédito A 3 000 € 50 €
Cartão de Crédito B 1 000 € 150 €
Cartão de Crédito C 1 250 € 62,5 €
Total 15 250 € 512,50 €

Solução Proposta:

TIPO DE CRÉDITO Montante em dívida Prestação
Crédito Consolidado 15 250 € 222, 99 €

Após uma análise ao caso, aconselhei o Sr. João a realizar uma operação de consolidação por ser a melhor solução. Ao consolidar ele ficaria apenas com um crédito e com uma prestação muito mais baixa do que a soma das prestações que tinha atualmente. 

O Sr. João aceitou a solução proposta e fez-se um pedido de Crédito Consolidado de 15 250 € a 84 meses (7 anos). Este crédito único representa uma poupança de 289,51 € (ou 56%) face ao valor total pré-consolidação.

Conclusão:

Para dar início ao processo enviou a documentação necessária para submeter a proposta aos nossos parceiros (entidades bancárias e financeiras).  Demorei 2 dias até receber a aprovação. Quando liguei ao Sr. João a dar a boa notícia, a mesma foi comemorada com um enorme “OBRIGADO”.  

Expliquei todas as condições e enviei o contrato por email, para que pudesse ler com atenção, assinar e devolver o contrato para formalizar o processo. No dia seguinte ao envio da aprovação, entrei novamente em contacto com o Sr. João no sentido de esclarecer eventuais dúvidas que tivessem surgido após a leitura do contrato e para ajudar a reunir as declarações das dívidas que iriam ser consolidadas.

A disponibilidade demonstrada pelo Sr. João permitiu agilizar todo o processo de forma a torná-lo célere.  5 dias após o primeiro contacto, o contrato estava formalizado e deu-se início à liquidação das dívidas.  

A verdade é que este caso, infelizmente, é comum. Muitos dos meus clientes recorrerem ao crédito rápido (e caro!) por diversas situações, ora desemprego, situações de saúde, são inúmeras as razões. Não há que ter vergonha em falar sobre estes assuntos e pedir ajuda quando é necessário. 

Se o Sr. João não tivesse comentado com o amigo a situação em que se encontrava, o mesmo não teria recomendado a Dona Poupança e a situação ter-se-ia agravado porque estava quase a entrar em incumprimento. 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este website usa cookies para oferecer uma melhor experiência de utilizador. Ao usar este portal, aceita todas as cookies.