4 hábitos que reforcei durante esta pandemia

Lembro que no início de 2020, quando vi no noticiário que a China, colocou uma cidade com 11 milhões de pessoas em quarenta, fiquei assustada. Comentei com as minhas colegas, que estava apreensiva, pelo facto de a China, uma potência mundial, fechar uma cidade com mais habitantes que Portugal. Longe de imaginar o que iria acontecer. 

Depois de vários meses de pandemia, onde pouco se manteve igual, faço um pequeno resumo de 4 hábitos que estão ainda mais presentes. 

  • Economizar dinheiro 
  • Pensar antes de gastar 
  • Planear refeições 
  • Investir na habitação 

Economizar + Dinheiro

No primeiro confinamento, comecei a concentrar-me mais nas minhas finanças, e comecei logo no início do mês a colocar algum dinheiro de parte, para alguma eventualidade. Tal como eu, também alguns portugueses fizeram o mesmo, segundo dados do INE, em Portugal a taxa de poupança atingiu 12,8% face a 2019.

Segundo a ECO, desde 2014 que não se verificavam níveis de poupança tão elevados. Tal não seria atingido se não fosse a incerteza do que iria acontecer nos próximos meses. Acredito que é uma tendência que se irá manter e perdurar.

Além da poupança “baseada” nesta incerteza, o facto de passarmos mais tempo em casa também foi motivo de poupança em transportes, refeições fora de casa, estacionamento e combustível.

Pensamento crítico antes de compar

A maior diferença entre comprar online e comprar fisicamente é o tempo de consideração para realizar a compra. E foi aqui que poupei mais. Depois do trabalho ou durante o fim-de-semana era muito fácil “ir ver as montras” e comprar algo que nos agradasse. 

Mas com o confinamento e as lojas fechadas, as compras passaram a ser online, e antes de clicar no botão optei por pensar mais. Um dia, ou às vezes até mais dias, e o que acabou por acontecer foi que reduzia o carrinho de compras online ou não comprava nada. A compra online passou a ser sobre o que é essencial e não tanto um “impulso”.

Planear refeições

Com a preocupação em ir aos supermercados devido a questões de segurança e as longas filas, optei cá em casa pois ir menos vezes as compras, pelo que passou a haver um maior planeamento de refeições. Planeamento esse que ajudou a reduzir o desperdício de alimentos, a economizar tempo e dinheiro e diminuiu o número de vezes que recorria a serviços de entregas de comida, já não havia essa tentação. Por último, também o facto de ser mais rápido e haver mais ofertas na compra de alimentos online, acaba por ajudar a não cair nas tentações deliciosas que vemos ao caminhar pelos corredores e junto das caixas de pagamento. 

Nesta notícia confirmamos que as compras online foram a escolha de milhares de portugueses, incluindo aqueles que não o faziam.

Investir na Habitação

No início do confinamento, após aquele choque inicial, começamos a olhar para a nossa casa, já que passamos a estar 24 horas nela, e a planear melhoramentos. 

Como pintar a casa com tintas que ajudem na prevenção humidade, ou pintar um guarda-fatos embutido, ou colocar lambrim no corredor, ou fazer alterações no móvel da sala, para dar um novo visual. Parece que ficou maior. 

Pequenos custos agora que vão dar um novo visual à casa e que podem evitar arranjos caros no futuro. 

Identificas-te com algum? Diz-me nos comentários.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este website usa cookies para oferecer uma melhor experiência de utilizador. Ao usar este portal, aceita todas as cookies.