A consolidação parcial é possível? Conhece o caso da Margarida

CRÉDITO CONSOLIDADO – Caso Real

A cliente Margarida, responsável de loja no ramo de hotelaria, tem 32 anos e queria pagar uma dívida aos pais e ainda investir em formação.  

Ela tem um ordenado de 1 145 € e recebe ainda uma renda no valor de 303 € que é declarada para efeitos de IRS. A Margarida tem um crédito pessoal, um cartão de crédito e um crédito automóvel. Prefere não incluir o automóvel na consolidação. Está a terminar e tem uma boa taxa de juro, paga 350 € de prestação mensal.

SITUAÇÃO QUANDO CONTACTOU A DONA POUPANÇA:

Rendimento Prestação Mensal
Salário 1 145 € -
Renda 303 € -
Crédito Automóvel - 350 €

SOLUÇÃO PROPOSTA:

Montante em Dívida Prestação Mensal
Crédito Pessoal 4 900 € 147 €
Renda 4 450 € 222 €
Total 9 350 € 369 €
Pedido de crédito para formação e pagamento da dívida aos pais 6 000 € -
CRÉDITO CONSOLIDADO 15 350 € 228 €

Prazo de pagamento do crédito consolidado: 84 meses ou 7 anos 

CONCLUSÃO:

Para tirar a formação e ainda pagar a dívida aos pais precisou de 6 000 € de liquidez adicional. Ao fazer esta consolidação de 15 350 € a 84 meses, ficou a pagar 228 €. A Margarida não só conseguiu o dinheiro para a formação e pagar aos pais, como também, passou a poupar 141 € mensais. O que no final do ano se traduz em 1 629 €.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este website usa cookies para oferecer uma melhor experiência de utilizador. Ao usar este portal, aceita todas as cookies.