Quanto mais tempo poupares, mais ganhas

Sabias que quanto mais tempo poupares, mais ganhas? Ouvimos frequentemente que é importante poupar, mas raramente nos dizem que quanto mais cedo o fizermos, mais as nossas poupanças crescem.

Quanto mais tempo poupares, mais ganhas
Quanto mais tempo poupares, mais ganhas

Vamos ver o seguinte exemplo:

Duas pessoas decidem poupar. Poupam exatamente a mesma quantia, recebem o mesmo retorno de juros no investimento que fizeram, mas só uma, à idade da reforma vai receber mais. E isto deve-se, exclusivamente, a um único factor: a idade com que começou o investimento.

Ou seja, a pessoa que investiu mais cedo, teve o seu dinheiro durante mais tempo a acumular e a multiplicar, ficando com mais dinheiro do que a pessoa que começou mais tarde.

A isto chamamos juros compostos.

Sabe mais sobre juros compostos aqui.

É inato para nós poupar?

Poupar não é um hábito facilmente adquirido. Temos sempre tendência para gastar e às vezes até mais do que aquilo que ganhamos.

Quando somos novos queremos utilizar o dinheiro em bons momentos, sem pensarmos nas consequências do nosso futuro, como a velhice. Damos como adquirido a saúde e o bem-estar.

Mas se conseguirmos poupar vamos ganhar muito mais do que se deixarmos o nosso dinheiro parado ou o perdemos todo em compras supérfluas.

Ver a conta crescer é um sentimento de prazer.

O que ter em consideração antes de começar a investir?

Se não tens poupanças este deve ser o teu primeiro objetivo. Poupar! Só podes começar a pensar em investir quando tiveres poupanças.

E o que quer isto dizer? Que tens de ter pelo menos três fundos de emergência, com a quantia equivalente ao teu salário:

  • Curto-prazo (3 meses);
  • Médio-prazo (6 a 12 meses);
  • Longo-prazo (Seguros).

Estes fundos de emergência vão permitir-te viver descansado. Se acontecer alguma coisa inesperada tens onde recorrer – ao teu fundo de emergência.

O inesperado pode ser muita coisa como desemprego, acidentes, problemas de saúde, avarias com eletrodomésticos, entre outras. São situações que não estavam previstas no teu orçamento de família.

Depois de garantir a tua segurança, vais começar a pensar em investir o teu dinheiro. Por exemplo, juntaste dinheiro com esse objetivo e é essa quantia que vais investir. Agora só precisas de estudar os produtos financeiros e ver qual é o mais adequado para ti.

A UniPeople, o meu parceiro, pode ajudar-te nesta tarefa. Conhece os produtos financeiros que recomenda aqui.

Define objetivos de investimento

Deves estar a questionar-te sobre os três fundos de emergência e como vais investir se até agora a tua preocupação tem sido poupar.

Por isso é que é muito importante começar o mais cedo possível. No entanto, começar mais tarde não significa que não seja possível poupar e investir. Ambos são essenciais para a tua liberdade financeira.

É normal que se o teu salário for acima da média vais conseguir poupar mais, mas para uma família com orçamento médio, também é possível, se forem definidos objetivos de poupança e investimento.

Refiro muitas vezes que 10% do teu salário deve ir para a tua poupança, mas se não te for possível, põe o mínimo possível porque todos os valores contam.

Definir objetivos vai manter-te no rumo, sem desvios, quer estejas focado nesta fase a crescer as tuas poupanças ou no início de investir.

Os estudantes e trabalhadores que ainda vivem com os pais conseguem poupar mais porque não têm despesas. A poupança ou o investimento pode ir até aos 80%.

Dica para avançar sem medo

Uma das dicas mais partilhadas na gestão das finanças pessoais é “paga a ti primeiro” e é algo muito simples de fazer. Quando recebes o teu salário paga a ti primeiro, um valor razoável e dentro das tuas posses, transferindo de imediato o dinheiro para as tuas poupanças.

Passado algum tempo torna-se um hábito e é impossível esquecer. Este dinheiro fica acessível numa conta poupança que te permite retirar o dinheiro em caso de necessidade.

O dinheiro cresce e quando deres por isso já vais ter não só o dinheiro que querias juntar para o teu fundo de emergência, mas o suficiente para uma casa, e para a tua reforma.

Porque falamos na reforma quando ainda somos jovens

Tudo leva a crer que o sistema da Segurança Social não vai funcionar daqui a uns anos. Iremos receber menos do que recebíamos quando trabalhávamos, este dinheiro não vai ser o suficiente para manter o nosso estilo de vida e para cuidarmos da nossa saúde.

Tal como nos preparamos para entrar na Universidade ou escolhemos a nossa futura profissão começando no secundário, devemos antever e prepararmo-nos para assegurar a reforma.

Os juros compostos ou “juros sobre juros” é uma solução. Não só ganhas juros pela quantia investida, mas também sobre os juros (o dinheiro que é pago pela instituição onde o dinheiro foi investido).

O dinheiro cresce mais do que se fosse através dos juros simples, por isso quanto mais tempo o dinheiro estiver investido, mais se ganha. Para além de que é possível ir reinvestindo sempre que se quiser, aumentando o valor.

A educação financeira deve ser falada com as crianças para que quando chegarem à idade adulta sejam capazes de tomar melhores decisões sobre as suas finanças pessoais. Conhece os três mealheiros da poupança e como falar deles às crianças.

Porque começar cedo equivale a quanto mais tempo poupares, mais ganhas!

Preparar o caminho para o sucesso financeiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este website usa cookies para oferecer uma melhor experiência de utilizador. Ao usar este portal, aceita todas as cookies.