Tendência global: o essencialismo

Chegou uma nova era a do “essencialismo”, ou seja, estamos a falar de uma urgente necessidade de mudança e adaptação a um mundo em constante mudança.

Essencialismo: o que é mais importante para ti na tua vida financeira?

O essencialismo foca o desenvolvimento dos últimos tempos e passa pela renovação de áreas como tecnologia, alimentação e mobilidade. A ideia é mudar, não devemos permanecer como estamos.

A ideia parte da neerlandesa Cécile Cremer, especialista em tendências e inovação, responsável pela empresa Wandering The Future. Podes, também, desenvolver o tema através do livro Essencialismo de Greg McKeown.

“Menos é mais” e se o consumidor é cada vez mais exigente, as marcas também têm de o ser. Mais transparentes, mais conscientes e éticas. E este, é um tema transversal que tem mais do que nunca impacto nas nossas decisões de compra.

Como pode, então, o “essencialismo” impactar a literacia financeira e/ou a gestão das nossas finanças pessoais?

O essencialismo como estilo de vida

Quando se trata das nossas finanças pessoais é fácil perdemo-nos ou tentar controlar e fazer tudo. Não priorizamos o que é mais importante.

Todos os dias temos que tomar decisões, por mais pequenas que sejam, podem causar transtorno porque não estamos focados.

Se adotarmos o essencialismo como estilo de vida estamos a escolher o que é mais importante para nós.

1. O que é mais importante para ti

No essencialismo tudo começa com o que é mais importante para nós para que possamos ser mais objetivos em relação ao que queremos obter da vida.

Como podemos usar o nosso dinheiro para termos mais felicidade?

É aqui que deves ser sincero contigo próprio. Esta é uma análise muito pessoal. Se considerares difícil, podes procurar ajuda. Um consultor financeiro vai questionar-te e guiar-te para uma melhor versão de ti próprio.

Quais são os teus objetivos? Tens alguma meta?

Queres estudar e aprender mais? Queres começar um negócio? Comprar uma casa? Fazer uma pausa no trabalho?

Ao responderes a estas questões, por exemplo, estás a priorizar o que é mais importante para ti. A estipular objetivos que queres alcançar a curto e a longo prazo.

Essencial para uma vida planeada e organizada. O dinheiro ajuda-te a alcançar sonhos, se estiveres disposto a fazer sacrifícios.

O dinheiro e o tempo estão definitivamente ligados um ao outro.

2. Planear a tua vida é essencial

Está na hora de colocares os teus objetivos em prática. De nada te serve tê-los só apontado em papel.

Exemplo de como organizei a minha vida durante as minhas dívidas:

  • Objetivos de curto-prazo: até 1 ano. Melhorar a minha saúde financeira: poupar e investir o que conseguir.
  • Objetivos de médio-prazo: de 1 até 5 anos. Livrar-me das dívidas. Amortizar e/ou pagar.
  • Objetivos de longo-prazo: maior do que 5 anos. Alcançar a independência financeira.

Mas os teus objetivos são, obviamente, diferentes dos meus. Quando estes objetivos foram concretizados, comecei a pensar noutras coisas que queria e que eram importantes para mim.

Por isso, um dos meus objetivos a curto-prazo era aprender. Então voltei a estudar, mas antes de o conseguir, poupei para atingir uma percentagem que me permitisse iniciar, sem colocar em causa o resto das minhas finanças.

Como podes ver tudo o que faço tem sempre um objetivo e uma meta a atingir.

 

Conhece a minha história.

3. Oportunidades

Estamos rodeados de oportunidades. Sim, leste bem. As oportunidades estão à tua vista se as quiseres ver, mas é preciso coragem para avançar.

No essencialismo, como estilo de vida, às vezes, nem é a oportunidade em si, mas o que queres fazer com ela. Estás no teu direito de a não aceitar.

São muitas as pessoas que investem atualmente. No entanto, sentes que não és alguém que goste de arriscar e então decides investir em produtos onde não tenhas perda de capital.

Ou, um amigo fez uma grande viagem ao estrangeiro, mas optaste por fazer férias locais, onde aproveitaste bem, divertiste e ainda poupaste.

Tu é que decides como queres passar o teu tempo, que oportunidades agarrar e que investimentos fazer.

4. Escolhas

Deves a determinada altura refletir nas tuas escolhas.

Os tempos mudam demasiado rápido e é necessário rever o teu plano financeiro, os teus objetivos e as tuas metas.

Além do mais, as necessidades que tinhas aos 30 anos, não são as mesmas que irás ter aos 50 anos.

Sê intencional em como usas o teu tempo, e o teu dinheiro. Não faças da tua vida, apenas e só, um projeto.

Alguns conceitos que precisas de conhecer

Estes são dois conceitos que são muito referidos quando falamos em poupança, ou utilizados como uma filosofia e estilo de vida na gestão das finanças pessoais, mas que não devem ser confundidos com o essencialismo.

  • Frugalismo

Independentemente do rendimento que temos, segundo o frugalismo, devemos tentar viver com pouco dinheiro.

O consumo deve ser evitado para podermos poupar o máximo possível.

  • Minimalismo

Viver uma vida com o mínimo possível. Os minimalistas são contra o consumismo e o materialismo.

Utiliza o teu tempo e energia no que realmente importa.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este website usa cookies para oferecer uma melhor experiência de utilizador. Ao usar este portal, aceita todas as cookies.