Mais ricos, outros mais pobres

Já te perguntaste porque uns são mais ricos, outros mais pobres mesmo quando a inflação chega à casa de muitas famílias? É o que te vou explicar.

Uns mais ricos, outros mais pobres. Só os quem sabem é que aproveitam as oportunidades em plena crise económica.
Uns mais ricos, outros mais pobres. Só os quem sabem é que aproveitam as oportunidades em plena crise económica.

Para uns a crise económica veio agravar a sua situação, para outros veio melhorá-la, tornando-os mais ricos. O mundo está assente numa balança desequilibrada.

Parece que estamos todos a sofrer, mas existem mais ricos. Esta riqueza não pertence só aos cidadãos, mas também ao crescimento de várias empresas.

A riqueza pertence a quem tem mais conhecimento.

Porque uns são mais ricos, outros mais pobres?

1. Dinheiro extra: subsídio

Ficas feliz quando recebes algum dinheiro extra?

Era isto que acontecia a muitas famílias de classe média no passado. Recebiam ou esperavam ansiosamente pelo subsídio e sentiam-se como gratos por terem mais margem no seu orçamento familiar.

Ora, o dinheiro não ficava por muito tempo na conta. Era gasto ou utilizado para fazer umas férias maravilhosas e há muito esperadas.

Hoje, sabemos que o subsídio não serve para pagar uma despesa inesperada, ou para férias, mas sim, para poupar ou investir.

Mas como a maioria das famílias anda sempre de “salário em salário”, já se podiam considerar abonadas naquele mês, especialmente quando iam gastar o dinheiro numa qualquer compra que não podiam fazer antes.

Se não saíres da corrida dos ratos vais permanecer pobre.

2. Mais ricos, outros mais pobres em dinheiro e conhecimento

Os mais ricos têm tudo, os mais pobres vão tendo aquilo que podem.

Não é um mito se te disserem que para enriqueceres tens de aprender. Só se torna num mito se não aplicares o que aprendeste.

Duas pessoas no mesmo curso podem ter percursos diferentes. Uma pode tornar-se rica, a outra ter uma vida mediana. Mas não gosto do termo “rico” é demasiado abrangente e sem contextualização.

Prefiro falar em saúde financeira. Esta tem 5 patamares:

  • Doente: As dívidas estão a consumir a vida financeira;
  • Confinado: De salário em salário. Todos os imprevistos são um problema;
  • Saudável: Consegue suportar imprevistos, mas não a longo prazo. Apesar de ter fundo de emergência (3 meses) e fazer orçamento familiar, de um dia para o outro a vida financeira pode tornar-se um caos;
  • Em forma: Poupa e investe.
  • Imune: Liberdade de escolha. Todos os meses tem dinheiro para investir. Planeia a sua vida financeira.

Simula e descobre em que patamar te encontras.

Por isso, estaríamos a falar de uma pessoa rica que está “em forma”, enquanto um pobre estaria “confinado” ao seu salário, sem grandes escolhas.

A pessoa que está “em forma” consegue identificar as oportunidades, mesmo quando as coisas se tornam mais difíceis. Quem está “confinado” só vê problemas, tem o conhecimento, mas não o aplica.

Quando agarras o conhecimento, como o utilizas?

3. Ser ou não ser: não tem importância

Existem dois tipos de milionários: os que nascem riscos e os que se tornam ricos.

Os que se tornam ricos têm como prioridade poupar e investir em diversos locais. Estes são os dois primeiros passos para quem quer alcançar uma saúde financeira em forma e mais tarde ficar imune, como referido no ponto 4.

Apesar de serem apenas estes dois passos, como é óbvio, apresentam duas características: encontrar oportunidades e saber aproveitá-las. Nem todas as pessoas estão dispostas a arriscar o seu dinheiro.

Se estivermos a falar de pessoas empreendedoras e que o consigam fazer com sucesso o seu crescimento passa por: investimentos/valorização do capital, remuneração e opções de ações para funcionários/participação nos lucros.

Não precisas de começar esta jornada sozinho, um consultor financeiro mostra-te como podes tornar-te “imune”.

4. Características importantes daqueles que se tornam ricos

É isto que tens de fazer este ano se quiseres mudar. E não é a jogar no euromilhões:

Não deixes as tuas ideias na gaveta: se tens objetivos, concretiza-os. Seja alcançar algo profissionalmente ou pessoalmente.

Procura ajuda: sê o primeiro a admitir que não sabe. Não é vergonha procurar ajuda e tirar dúvidas com quem sabe. Todas as perspectivas e o feedback são importantes. Procura um consultor financeiro que te ajude a entrar no mundo dos investimentos.

O risco foi feito para arriscar: nada acontece sem risco e ação. Tens de querer, de ter vontade e motivação. Compromete-te, analisa e planeia.

As tuas ideias e dúvidas são importantes, mas é a tua vontade e motivação que te levam onde queres ir.

5. Torna-te rico

Se queres tornar-te rico deves poupar e investir:

  • Poupar no início do mês;
  • Reforçar o fundo de emergência (6 a 12 meses do teu salário);
  • Investir de forma diversificada (pequenas a grandes quantias);
  • Receber rendimento extra (salário, dividendos, investimentos diversos em ações e fundos).

Sai da tua zona de conforto e aprende como fazer bem todos estes quatro passos. Só assim podes alcançar o último patamar da saúde financeira. Ser imune, ser rico, ter liberdade para fazer e planear.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este website usa cookies para oferecer uma melhor experiência de utilizador. Ao usar este portal, aceita todas as cookies.