Cuidado com o cartão de crédito

Nem todos os pagamentos devem ser feitos com o cartão de crédito. É preciso ter atenção ao uso que fazemos do cartão, porque as surpresas podem surgir em forma de dívidas.

Conhece as situações onde não deves usar o cartão de crédito.
Conhece as situações onde não deves usar o cartão de crédito.

O plafond do cartão de crédito dá-nos a possibilidade de fazer todas as compras que quisermos. É, também, a armadilha perfeita para a dívida.

Todas as compras que fazemos devem ser pensadas, principalmente, quando sabemos que estamos perto de ficar sem dinheiro.

Por isso, estas são algumas das razões em que deves ter cuidado com o cartão de crédito e evitar usá-lo.

Cuidado com o cartão de crédito

1. Salário

É um erro utilizar o plafond se já não tens dinheiro. Como vais pagar no próximo mês e nos restantes meses, se estás com dificuldades em suportar as tuas despesas mensais?

Sabes o que é a Corrida dos Ratos? É quem vive de salário em salário. Se é o teu caso, descobre como sair.

2. Pagar dívidas

Se tens uma dívida e vais pagar com o cartão de crédito, percebe que não é a solução para os teus problemas. Pagar com o plafond do cartão de crédito pode originar uma nova dívida.

A melhor estratégia é ir pagando as dívidas mais pequenas, depois as intermédias e de seguida as maiores.

Para isso, tens de fazer um planeamento estratégico para que consigas no início do mês poupar e controlar os gastos ao longo do mês.

Sabe como amortizar uma dívida, aqui.

3. Cibersegurança

É preciso ter cuidado onde utilizamos o cartão de crédito, especialmente online.

  • As fraudes nas compras online são cada vez mais recorrentes. Antes de ceder o número do cartão de crédito para fazer uma compra, tens de garantir que o cartão tem:
  • Autenticação adicional;
  • Segurança com, por exemplo, dois passos para a autorização;
  • Plafond limitado;
  • Prazo de validade reduzido.

Prefere métodos de pagamento mais seguros como referência multibanco ou contraentrega. Ou opta por um cartão de crédito virtual.

Analisa, também, o site:

Tem política de devoluções e privacidade;

Consegues encontrar a informação “Quem somos”;

Encontras os selos de segurança e uma ligação segura Domínio e URL;

O que encontras sobre a marca no Google.

Tem cuidado com os dados que partilhas.

Poupa nas tuas compras online.

4. Despesas fixas e do dia-a-dia

Quando se trata de despesas fixas, como a água e o gás, o valor pode ser variável, mas sabemos que o pagamento é feito todos os meses.

Não ter controle sobre a gestão das tuas finanças pessoais pode tornar-se um problema quando recorres ao plafond do cartão de crédito para pagar estas despesas.

O mesmo acontece se usares nas despesas do dia-a-dia. Ao chegar a meio do mês e só conseguires fazer compras no supermercado com plafond é porque tens um problema gravíssimo.

Pode ser má gestão financeira ou estares perto do incumprimento. Neste caso fala com um mediador de créditos ou um consultor financeiro.

Não deixes a situação arrastar.

Na empresa de finanças pessoais, UniPeople, encontras ambos os serviços e, desta forma, és melhor acompanhado.

5. Promoções

A sociedade é consumista e incentiva ao consumo. Não conseguimos escapar a esta armadilha.

São as promoções, as compras por impulso, e, quando damos por isso, a única hipótese de obter determinado produto é recorrendo ao plafond do cartão de crédito.

Facilmente nos esquecemos da organização financeira, dos objetivos e metas que definimos. Compramos porque às vezes sentimos-nos emotivos.

6. Dívidas

Uma outra situação que deves ter em conta é as dívidas que já tens.

Por isso, em caso de imprevistos, em vez de utilizares o plafond, opta por usar o fundo de emergência.

É importante que tenhas um com 6 a 12 meses do teu salário, assim como poupanças.

Para emergências médicas deves considerar um seguro de saúde ou plano de saúde. O seguro é uma forma de poupança, assegurar que em caso de necessidade tens onde recorrer para te tratar.

Cuida melhor das tuas finanças

Orçamento familiar: porque fazer um

Muitas famílias começaram a viver de salário em salário, mas às vezes tudo o que precisamos de fazer é organizar as nossas finanças pessoais.

Ter um orçamento familiar ajuda nesta organização e podes fazê-lo dividindo por áreas como despesas fixas e variáveis.

Sabe como fazer um orçamento familiar, aqui.

O incumprimento

Sem um orçamento familiar não temos noção do quanto gastamos e, principalmente, onde. O problema surge se não tivermos o hábito de poupar, especialmente para um fundo de emergência que nos garante fazer face a imprevistos.

Não tendo uma poupança a única forma é recorrer ao cartão de crédito e ao seu plafond. Como qualquer outro crédito, o cartão de crédito tem taxas de juros.

Se a dívida não for paga, os juros revelam-se piores que qualquer outro crédito.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este website usa cookies para oferecer uma melhor experiência de utilizador. Ao usar este portal, aceita todas as cookies.