Pedir crédito para comprar casa

Vais comprar casa e precisas de apoio financeiro? Antes de pedir crédito sabe se tens os requerimentos necessários.

As regras para pedir crédito têm vindo a mudar por causa da inflação. Estão mais restritivas e, muitas famílias, vêm a descobrir que não têm as condições necessárias.

Antes de pedir crédito para comprar casa, conhece os requerimentos necessários
Antes de pedir crédito para comprar casa, conhece os requerimentos necessários

Pedir crédito

Existem diversos fatores a ter em conta quando estás a pensar comprar casa e pedir crédito habitação.

  • Valor do imóvel;
  • Montante de empréstimo necessário;
  • Valor para dar de entrada;
  • Rendimentos líquidos do agregado familiar;
  • Encargos totais da família com outros créditos;
  • Idade dos mutuários;
  • Prazo do empréstimo.

Idade dos mutuários e prazo do empréstimo

Com as novas regras, definidas e implementadas a 1 de abril de 2022 pelo Banco de Portugal, contratos de crédito à habitação e de outros créditos com garantia hipotecária ou equivalente não deve ser superior a:

  • 40 anos, no caso de clientes com idade inferior ou igual a 30 anos;
  • 37 anos, no caso de clientes com idade superior a 30 anos e inferior ou igual a 35 anos;
  • 35 anos, no caso de clientes com idade superior a 35 anos.

Assim, antes de pedir crédito tens de ter em conta a tua idade e capacidade para cumprir obrigações inerentes ao empréstimo, apesar de todos os bancos terem as suas próprias regras, têm de seguir os critérios do Banco de Portugal.

Estes limites foram criados para evitar que as instituições assumam riscos excessivos na concessão de crédito e, por outro lado, promover o acesso dos consumidores a financiamento adequado, minimizando o risco de incumprimento.

O problema é que desta forma as prestações sobem.

O que precisas de ter em conta?

Começar a procurar casa sem conhecer o montante máximo de empréstimo

Limites ao rácio Loan to Value (LTV)

Antigamente, quando se pedia um determinado valor, o banco emprestava na totalidade. No entanto, atualmente, o empréstimo não deverá ultrapassar os 90%. Daí ser necessário que a família dê uma entrada de 10% na compra da casa.

O LTV é obtido dividindo o valor do empréstimo pelo valor do imóvel, sendo necessário que o valor resultante esteja abaixo do LTV máximo definido pelo Banco. Este valor vai influenciar as condições do crédito habitação.

Exemplo:

O empréstimo é de 200.000€ e o valor do imóvel é de 250.000€.

O cálculo do LTV é:

LTV = (Valor do Empréstimo / Valor do Imóvel) * 100

LTV = (200.000€ / 250.000€) * 100 = 80%

Neste exemplo, o LTV é de 80%, o que significa que o mutuário procura um empréstimo equivalente a 80% do valor do imóvel.

Quanto maior o empréstimo, maior o risco para o banco

Se um cliente tem uma taxa de esforço muito alta, indica que uma grande parte do seu orçamento está comprometido com dívidas existentes, o que aumenta o risco para o banco de conceder um novo empréstimo.

Se ocorrerem mudanças nas condições financeiras do cliente, como desemprego ou o aumento das taxas de juros, a capacidade do cliente de pagar as dívidas pode ser comprometida, aumentando assim o risco para o banco.

Quando não consegues o empréstimo

  • Escolher um imóvel mais barato

Às vezes é preciso perder tempo, mas encontrar o imóvel ideal, seja em preço, seja em localização.

Teres dinheiro de entrada, mas também ficar com folga financeira é e será sempre um alívio financeiro para qualquer família.

  • Rever as despesas para melhorar a taxa de esforço

Olhar o orçamento familiar vai ajudar-te a analisar a capacidade financeira do agregado familiar.

Tem sempre o teu orçamento atualizado para poderes tomar boas decisões financeiras.

  • Melhorar o acesso ao crédito

Para que consigas obter crédito habitação deves ter uma taxa de esforço baixa, ou seja, deve estar abaixo dos 40%, por isso, analisa que despesas fixas tens e quanto representam nos teus gastos no orçamento familiar.

Uma outra questão que deves ter em atenção é o teu histórico de compromissos bancários. Se não tiveres histórico de dívidas ou dívidas em atraso não terás problemas.

Teres uma boa situação profissional é, igualmente, essencial para obter um crédito habitação. Outra solução é ter um segundo titular para ajudar na decisão do banco.

Conclusão

Quando uma família vai pedir crédito por vezes não analisa bem a situação. Assim, o Banco de Portugal tem vindo a tomar medidas que impeçam o endividamento excessivo das famílias.

Se não tiverem margem orçamental suficiente para cumprir com os seus compromissos, o crédito, pode ser recusado.

Não contabilizam, também, todos os gastos extras com escrituras públicas, registos, comissões, Imposto do Selo sobre a aquisição e sobre o crédito e Imposto Municipal sobre Transações Onerosas de Imóveis (IMT).

Para que não tenhas problemas quando decides pedir um crédito habitação fala com uma equipa de intermediação de crédito. Saberão mais facilmente o que é necessário para conseguires que o teu pedido seja aprovado.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este website usa cookies para oferecer uma melhor experiência de utilizador. Ao usar este portal, aceita todas as cookies.