Livra-te dos maus hábitos financeiros

Todos temos maus hábitos financeiros e é normal. Não vale a pena chorar ou ficar ansioso. Por mais que digamos para nós que não vamos gastar às vezes abrimos a carteira, puxamos do cartão de crédito e aquele som singular do “bip” é o ponto final. O dinheiro acabou de sair da conta.

Os maus hábitos financeiros podem tornar-se o teu pior pesadelo para uma boa gestão das finanças pessoais
Os maus hábitos financeiros podem tornar-se o teu pior pesadelo para uma boa gestão das finanças pessoais

Menu do artigo

Maus hábitos financeiros surgem aqui e acolá, não quer dizer que tenhamos sempre os mesmos comportamentos em relação ao uso do dinheiro. Compreendermos quais os hábitos, ajuda-nos a preveni-los e a evitar cair novamente naquele gesto tentador que nos leva a gastar.

São 6 hábitos que precisas de mudar para fazer a diferença na gestão das tuas Finanças Pessoais.

Maus hábitos financeiros: os comportamentos que queremos eliminar

Transforma os maus hábitos financeiros em hábitos de poupança. Só assim irás conseguir impedir o crescimento do saldo negativo.

Gastei demasiado, não vou gastar mais

Como te compreendo! Temos tantas despesas ao longo do mês que poupar pode ser difícil. Depois surge as despesas inesperadas de que temos de tratar e o carro fica para último.

O carro é utilizado todos os dias para irmos passear, trabalhar, levar as crianças à escola, aos treinos e ir às compras. Damos-lhe o devido valor, mas a sua manutenção, como não é obrigatória, não acontece.

E se não cuidarmos do carro as consequências podem ser graves, pois levar o carro à manutenção de forma regular é poupança. Evitas avarias e antecipas problemas.

Depois de começar, esse foi o meu problema

A “happy hours” praticada por bares, cafés e hotéis, que tanto oferecem bebidas como descontos é uma maneira de o gasto acabar por ser mais significativo porque se consome mais bebidas do que o planeado, devido aos preços mais baixos.

Além de incentivar ao consumo excessivo, o álcool pode diminuir as inibições e levar as pessoas a tomar decisões financeiras impulsivas. E como ocorre durante a semana de trabalho, pode haver um impacto negativo na produtividade no dia seguinte devido à ressaca ou à fadiga.

Adoro desporto, mas não tenho tempo

Estar inscrito no ginásio…e não ir.

Começamos por dar desculpas, por causa da falta de tempo, depois é a falta de vontade, acabando por te esqueceres da inscrição. O problema é que todos os meses se paga uma mensalidade para um serviço que não se está a usufruir.

Normalmente, será pago por débito direto, sendo fácil passar despercebido no meio de tantas despesas. E no final do mês o dinheiro é pouco e não sabes porquê.

Caso não tenhas vinculação com o ginásio, basta enviar uma carta registada a indicar o motivo da desistência ou um e-mail, mas se estiveres com um contrato de fidelização por 6, 12 ou 24 meses, só uma razão válida te permite desistir, caso contrário é gastar dinheiro em vão.

Nunca te esqueças de dar a ordem no banco para suspender o débito direto das mensalidades para não continuares a pagar após o cancelamento do ginásio.

Gosto demasiado de… fazer compras

Quem não gosta?

Os cartões de fidelização das lojas têm sempre à disposição do cliente várias promoções, por isso, quem gosta de ir às lojas ver os produtos, vai sentir-se, certamente, tentado.

Este é um dos maus hábitos financeiros que têm de ser mudados com urgência para não se comprar só por se comprar, mas, sim, compreender qual a necessidade de comprar determinado produto.

Uma dica: se preferes o comércio eletrónico, não associes os teus cartões de crédito porque depois torna-se ainda mais fácil comprar.

Fiquei, viciada em apps

Muitas das apps que encontras na loja do teu smartphone são gratuitas, mas para usufruíres de todos os serviços tens as compras integradas. São, por norma, valores razoáveis e apelativos, mas que te levam a comprar e a gastar dinheiro por algo que será de utilização temporária.

Por exemplo, nos jogos fazem com que compres para obter mais recompensas, dar avanço no jogo ou teres mais jogadas.

Queria fazer, mas não planeei

Temos sempre ideia do que queremos fazer e quando. Fazemos e é divertido, mas não foi planeado, por isso os gastos acabam por ser demasiados para o orçamento familiar.

No próximo mês não podes poupar, o saldo será negativo e o único recurso para pagar despesas necessárias é o plafond. Isto não deve acontecer.

Não te esqueças que com planeamento é mais fácil organizar a tua vida financeira.

Identifica outros maus hábitos financeiros que possas ter para resolver no inicio do ano
Identifica outros maus hábitos financeiros que possas ter para resolver no inicio do ano

Conclusão

Reconhecer e enfrentar os maus hábitos financeiros é o primeiro passo para uma gestão mais saudável das Finanças Pessoais. Em vez de lamentar as escolhas passadas é importante aprender com elas. Identificar padrões comportamentais do dia a dia é um passo para a poupança.

Ao transformar maus hábitos financeiros em hábitos de poupança, conseguimos eliminar de vez o surgimento de um saldo negativo no final do mês. Mas é preciso ser realista e estabelecer limites nos nossos gastos ou seja, planear, eliminar despesas desnecessárias e controlar o orçamento familiar.

No topo das tarefas mais importantes é, acima de tudo, comprometermo-nos connosco e com as nossas finanças.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este website usa cookies para oferecer uma melhor experiência de utilizador. Ao usar este portal, aceita todas as cookies.