Euribor: a taxa que afeta o teu empréstimo

O atual contexto económico tem afetado a taxa de juro Euribor que subiu de valores negativos. O Banco Central Europeu informou em Fevereiro de 2022 que se previa uma subida.

A pandemia debilitou muito as empresas das quais algumas não recuperaram. E a subida da inflação tem contribuído para o aumento dos preços, retirando poder de compra aos consumidores.

O inesperado conflito militar na Ucrânia veio reforçar a instabilidade económica, principalmente, no aumento do preço do petróleo e da energia em geral.

Uma preocupação generalizada é a de como esta situação vai impactar os empréstimos e da qual, também, deves partilhar.

Deixa-me explicar-te tudo.

Euribor: a taxa que afeta o teu empréstimo
Euribor: a taxa que afeta o teu empréstimo

O que é a Euribor?

A Euribor (Euro Interbank Offered Rate) é muito fácil de entender e não tem grandes explicações. Esta é uma taxa que os bancos utilizam para calcular os juros dos empréstimos que fazem entre si.

Quando os bancos emprestam a outros bancos, a Euribor é a média dessas taxas praticadas e tanto pode subir como descer.

A maior dificuldade será, provavelmente, perceber como esta nos afeta diretamente quando pedimos um empréstimo ao banco, por exemplo, para comprar casa.

Como fica a minha situação financeira?

A tua situação vai depender muito de algumas variáveis como o capital em dívida, o Spread contratado e a indexante utilizada: Euribor de 3, 6 ou 12 meses.

 

O Spread é o lucro que o banco vai ter com o empréstimo, trata-se da diferença entre a taxa de juro paga aos outros bancos (Euribor) e a que vais pagar anualmente.

 

É importante analisares a tua situação financeira e informares-te se estas alterações te vão impactar, porque a Euribor a 6 meses, a mais utilizada nos Créditos à Habitação tem estado a subir continuamente, como indica o jornal ECO, assim como a de 3 e 12 meses.

E agora?

Uma boa análise ao mercado permite perceber se uma transferência do teu Crédito Habitação para outro banco é a solução. E se tiveres vários créditos, a Consolidação de Créditos, pode ser uma boa decisão a tomar.

É por vezes complicado perceber o funcionamento e a linguagem bancária, principalmente, quando não estamos dentro do assunto, mas não deves ignorar a situação e esperar.

Sabias que se ficares em incumprimento é muito mais difícil encontrar soluções? Procura informar-te sobre o empréstimo junto do teu banco e ganha o controlo da tua situação financeira.

Como a prestação do Crédito à Habitação é pago em débito direto podes não te aperceber do valor ter aumentado e chegar ao final do mês sem dinheiro. A subida pode variar muito e de forma súbita.

Como fazer frente às subidas dos juros?

A Euribor esteve negativa durante sete anos e seis meses e quando as taxas de juro estão baixas, incentivam o consumo e o investimento, por isso muitas famílias estão a ser surpreendidas.

Esta subida leva os bancos a cobrar mais nos empréstimos concedidos, mas as instituições bancárias têm planos de ação para que não entres em incumprimento.

Podes sempre:

 

  1. Renegociar o teu Crédito à Habitação;

  2. Transferir o Crédito à Habitação para outro banco;

  3. Mudar para uma taxa fixa;

  4. Amortizar a dívida através do teu fundo de emergência;

  5. Rever seguros e em caso de dívidas com crédito, repensar na consolidação.

Não deixes crescer as tuas dúvidas, assim como a tua prestação.

Aprende mais sobre créditos no artigo “Créditos: Renegociar ou Consolidar – Qual a melhor opção?

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este website usa cookies para oferecer uma melhor experiência de utilizador. Ao usar este portal, aceita todas as cookies.