Entrar com o pé direito na vida profissional: como gerir o salário

Iniciaste a tua vida profissional? A tua carreira é importante e, nesta fase, deves ter muitas dúvidas e, provavelmente, muitas incertezas sobre como gerir o salário da melhor forma possível. Tens toda a razão! Os primeiros passos são essenciais para assegurar um futuro próspero.

A tua vida profissional começou. Não te esqueças de poupar para garantir os teus projetos futuros.
A tua vida profissional começou. Não te esqueças de poupar para garantir os teus projetos futuros.

Menu do artigo

Vida profissional: o que fazer com o salário

É natural que a entrada no mercado de trabalho seja um desafio. É uma novidade e uma oportunidade que queres agarrar. Há que ter espírito de iniciativa e aprender a gerir o salário, porque vais começar a ter mais despesas do que tinhas anteriormente quando eras estudante.

Provavelmente tens de mudar de residência e pagar uma renda, tens de ter preocupações como a alimentação e os transportes. Talvez tenhas de ter um outro tipo de vestuário e, assim, renovar o teu guarda-roupa.

Para que a tua vida profissional não fique abaixo das tuas expectativas, cuidar da saúde financeira é ter um futuro relaxado e sem preocupações.

Poupar com o salário

Receber um salário é ter liberdade para comprares e fazeres as atividades que mais gostas. Podes pensar que poupar é desnecessário, porque estás num momento em que o que mais queres é aproveitar a vida.

Mas, sejamos sinceros, poupar é uma palavra desinteressante. Se pesquisarmos no dicionário aparecem coisas como “não desperdiçar” ou “fazer economias”.

Por outro lado, é isso mesmo, não desperdices os teus projetos, as tuas ideias ou os teus sonhos. É isto que é a poupança. É pensares no teu futuro.

Começar a poupar

Quando inicias a tua vida profissional e recebes o teu salário deves logo começar a poupar. Se começares cedo será o melhor para ti.

Não coloques entraves à poupança, como por exemplo, “só vou poupar quando tiver um emprego estável” ou “agora sou jovem, vou é divertir-me”.

Poupar vai ajudar-te a não ter dívidas, a realizar os teus objetivos financeiros e investir em produtos financeiros onde o dinheiro trabalha para ti.

Poupar garante que tenhas uma vida profissional e pessoal mais descansada
Poupar garante que tenhas uma vida profissional e pessoal mais descansada
Dica fast
  • Aponta ou faz um excel com as tuas despesas e receitas para controlar o orçamento familiar;
  • Poupa um valor no início do mês. A quantia que poupas não é importante, o importante é criar o hábito de poupar;
  • Começa o teu fundo de emergência é a tua boia de salvamento em caso de imprevistos financeiros.

6 dicas para aproveitar, ao máximo, o salário

1. Definir metas de poupança

Agora que iniciaste a tua vida profissional vais, também ter a tua independência e as tuas responsabilidades financeiras.

Focando nos teus objetivos de curta duração que queres alcançar, atualmente, mas a pensar, igualmente no teu futuro é muito importante que comeces a poupar parte do teu salário.

E a poupança que vais fazer deve ter, metas de poupança.

Porque deves definir metas de poupança

Porque se o pior acontecer é preciso que tenhas, idealmente, 6 meses de gastos de lado num fundo de emergência.

Para poderes fazer uma viagem inesperada, comprar um carro ou continuar os teus estudos.

Tu é que defines os teus objetivos financeiros e quando os queres alcançar, por isso deves definir as tuas metas de poupança.

Que valores deves poupar

Para saberes um valor realista de quanto podes poupar precisas de saber quanto é que gastas por mês e em quê.

Aponta as tuas despesas, organiza por categorias e, assim, vais sempre saber para onde vai o teu dinheiro.

Se não souberes como dividir o teu orçamento espreita este guia (regra 50-30-20). Não importa se não consegues poupar 20%, o importante é que poupes.

2. Cria um fundo de emergência para não usares cartões de crédito

O cartão de crédito tem muitas vantagens, mas apenas se o usares da forma correta. E este é um “SE” demasiado grande. Ao perderes o controlo deste cartão podes estar a criar uma dívida difícil de pagar.

Muitas pessoas recorrem ao cartão de crédito para pagar despesas inesperadas, depois não conseguem pagar atempadamente. Os juros são mais altos que os de um crédito, por exemplo.

É preferível construíres um fundo de emergência e recorrer a ele nestes momentos. Assim poderás pagar de imediato e não terás de pagar juros acrescentados ao valor em crédito.

3. Aproveita as promoções e saldos

As promoções são muitas vezes a altura em que perdemos a cabeça e começamos a comprar por impulso ou por causa de uma moda.

Para não arriscares as tuas poupanças, faz uma lista do que mais precisas e só, assim, vais comprar realmente o que precisas e aproveitar as promoções e os saldos.

No início de qualquer vida profissional é sempre importante investir num novo computador e/ou um computador recondicionado, formações ou roupas e calçado. Por isso, os saldos são sem dúvida a melhor altura para o fazeres.

Lembra-te de comparar o preço entre várias lojas, principalmente online para achares o preço mais barato.

4. Colocar os presentes monetários nas poupanças

A família, principalmente os mais velhos, ainda oferecem dinheiro como prenda de aniversário ou natal. Com este presente monetário, aproveita para o colocar nas tuas poupanças ou fundo de emergência.

É compreensível que seja tentador gastar o presente, afinal podes comprar algo que já desejas há muito tempo. Contudo, se queres alcançar o objetivo da independência financeira o mais rápido possível, guarda esse valor.

5. Não aumentar o estilo de vida

À medida que a tua carreira profissional evolui é natural que os rendimentos também subam. Normalmente temos tendência a aumentar o custo do nosso estilo de vida, porque com mais dinheiro, podemos fazer mais coisas.

Mas deves acompanhar a evolução do teu salário e aproveitar para enriquecer a tua poupança ou seja o teu fundo de emergência. Podes, também, pensar em investir num ou noutro produto financeiro. Nos investimentos nunca invistas o teu dinheiro num único produto, diversifica para o caso de um imprevisto.

Viver um degrau abaixo das nossas possibilidades é a única forma de conseguirmos ser financeiramente independentes. Ter um valor reservado é a única forma de não comprometer todo o nosso esforço no caso de uma eventualidade inesperada, como um acidente ou um problema de saúde.

6. Lê sobre finanças pessoais

Lê livros que falem sobre finanças pessoais e que falem sobre dinheiro. Lê notícias e está atento às tendências económicas e ao mercado. Lê sobre investimentos e como colocar o dinheiro a trabalhar para ti. Lê outros artigos neste blog. Tudo isto, e mais, é Literacia Financeira. E Portugal é um dos países europeus com as taxas mais baixas a nível de conhecimentos sobre estes temas.

Ler e ouvir estes temas vai mudar o teu conhecimento, visão e forma de agir sobre as tuas finanças pessoais. Não tenho qualquer dúvida.

Deixo aqui dois exemplos: Inabalável, de Tony Robbins. Pai rico, Pai pobre, de Robert Kiyosaki.

Resumo

No início da vida profissional, é crucial gerir o salário de forma eficaz para garantir um futuro próspero. Esta etapa envolve aprender a lidar com novas despesas e responsabilidades, como a habitação, a alimentação e o transporte.

Poupar é fundamental, mesmo que no momento pareça desnecessário, pois é um investimento para o teu futuro e na realização de objetivos. Começar a poupar desde cedo, definir metas de poupança, criar um fundo de emergência e aproveitar promoções são estratégias importantes.

Evitar aumentar o estilo de vida à medida que os rendimentos crescem ajuda a garantir a independência financeira e investir em literatura sobre finanças pessoais é fundamental para aumentar a literacia financeira, assim como tomar decisões financeiras mais informadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este website usa cookies para oferecer uma melhor experiência de utilizador. Ao usar este portal, aceita todas as cookies.