Mapa de responsabilidades: renegociar os créditos

Chega uma altura em que percebes que tens de renegociar os créditos. A subida das taxas de juros, situação inesperada e que apanhou muitas famílias desprevenidas, levou a dificuldades financeiras e a repensar o estilo de vida.

Renegociar os créditos: obter todos os dados através do mapa de responsabilidades
Renegociar os créditos: obter todos os dados através do mapa de responsabilidades

Menu do artigo

Como os bancos têm vindo a baixar o spread por causa do aumento da taxa Euribor, uma das soluções mais procuradas é a transferência do crédito habitação que ajuda a poupar todos os meses na prestação.

Por outro lado, quando existe mais do que uma dívida, ou seja mais do que um crédito, o crédito consolidado pode ser a solução.

Se ainda não te apercebeste de como está a tua situação, antes de tomar uma decisão e de renegociar os créditos, podes fazer duas coisas:

Mapa de responsabilidades

No mapa de responsabilidades encontras todos os teus créditos, ou seja, os dados de que precisas, como por exemplo, quanto tempo falta para terminar de pagar a dívida.

O mapa é atualizado pelas instituições bancárias que te concederam o crédito e pode ser consultado aqui.

Porque é preciso organização dos créditos?

Às vezes com tantos pagamentos se não te organizares bem, vais começar a perder rasto às datas, aos aumentos das prestações, às datas em que deves renegociar, rever, por exemplo, os seguros e coberturas.

É importante garantir que fazes um registo preciso e atualizado das tuas obrigações financeiras. A perda de dados dos créditos pode ocorrer se não estiveres a manter um bom controlo dos teus documentos e faturas.

O que pode levar a vários problemas como a falta de pagamento de prestações, atrasos ou incumprimentos, o que pode prejudicar o teu histórico de crédito e a tua capacidade para obter crédito no futuro.

Manter um arquivo organizado das tuas obrigações financeiras é fundamental para evitar a perda de dados e garantir uma gestão financeira saudável.

Lista de créditos e responsabilidade

Quando pedes um crédito o banco pode consultar o teu mapa de responsabilidades para análise. Desta forma, ao observar os créditos que já tens, pode ser um fator para aceitar ou negar o crédito que estás a pedir.

Mas como também podes consultar é aproveitar para encontrar no mapa:

  • Informações Pessoais: Dados de identificação pessoal, como nome, número de identificação fiscal, data de nascimento, morada, entre outros.
  • Créditos Ativos: Detalhes sobre os créditos em vigor, incluindo empréstimos hipotecários (se és devedor, avalista ou fiador), pessoais, automóveis, cartões de crédito, linhas de crédito, entre outros. Inclui informações sobre o valor em dívida, prazos, taxas de juro, prestações mensais, entre outros.
  • Responsabilidades Futuras: Compromissos financeiros futuros assumidos, como cartões de crédito com limite aprovado mas ainda não utilizado.
  • Créditos Liquidados: Informações sobre créditos que já foram liquidados ou cancelados, permitindo uma visão mais completa do histórico financeiro.

Com uma visão detalhada dos teus créditos e das tuas responsabilidades financeiras, ficas apto a tomar melhores decisões, principalmente renegociar o crédito com o banco.

Tomar boas decisões: renegociar os créditos

Taxa de esforço

Depois de analisares o mapa de responsabilidades, em seguida tens de saber a tua taxa de esforço.

A taxa de esforço vai ajudar-te a perceber quanto estás a despender todos os meses em créditos e se, esses valores, já te estão a pesar no orçamento familiar.

É um cálculo muito fácil de fazer:

Divide o valor total das tuas prestações pelo rendimento mensal líquido do agregado familiar e multiplica o resultado por 100 para obter o valor em percentagem.

Quanto deve ser a taxa de esforço?

A taxa de esforço recomendada não deve ultrapassar os 30%, sendo que, depois de saber a taxa de esforço, não te podes esquecer das outras despesas.

Se o teu salário estiver alocado para as dívidas, mais de 50%, significa que ficas sem margem para poupar e para viver. Tens de andar constantemente em cima das tuas despesas, como um rato preso numa corrida.

Exemplo de um calculo da taxa de esforço
Exemplo de um cálculo da taxa de esforço

Exemplo da Ana e do Carlos

A Ana é auxiliar de enfermagem e tem um salário de 800€. O seu marido trabalha como eletricista de construção e o seu salário são 990€.

Têm dois créditos automóvel, um de 110€ e outro de 200€. A Ana fez, ainda, um crédito pessoal e está a estudar para se tornar enfermeira. Paga todos os meses 301€.

Ao calcularmos a taxa de esforço esta atinge o valor preocupante de 34%. Não poderiam fazer um crédito habitação com uma prestação acima de 400€ e ainda teriam de controlar muito as suas despesas fixas e variáveis.

Taxa de esforço acima dos 30%

Com uma taxa de esforço de 30% podes renegociar os créditos através da consolidação de créditos ou se, estiveres com um spread muito alto no crédito habitação podes renegociar com o banco.

O que queres renegociar?

Renegociar o crédito habitação envolve vários elementos importantes que afetam os termos e condições do empréstimo. Estes são os principais:

Spread

O spread é a margem adicionada à taxa de referência (por exemplo, a Euribor) para determinar a taxa de juro final que irás pagar no empréstimo.

Renegociar o spread significa tentar obter uma margem menor, o que pode reduzir significativamente o custo total do empréstimo ao longo do tempo.

Prazo do Indexante (Euribor)

A Euribor é uma taxa de referência utilizada nos empréstimos de crédito habitação.

A Euribor pode ser calculada a três, seis ou doze meses. Renegociar o prazo do indexante envolve escolher o período pelo qual a taxa de juro é ajustada. Optar por um período mais longo pode dar uma maior estabilidade nas prestações mensais, enquanto um período mais curto pode beneficiar de mudanças nas taxas de juro mais rapidamente.

Regime da Taxa de Juro (Fixa ou Variável)

Uma taxa de juro fixa permanece constante ao longo do período acordado e as prestações não podem subir. Uma taxa de juro variável, sofre as descidas e subidas da taxa Euribor.

Ao renegociares o regime da taxa de juro escolhe entre manter a taxa fixa ou optar por uma taxa variável, dependendo das tuas expectativas em relação às taxas de juro futuras e da sua tolerância ao risco.

Atualmente será melhor optar pela taxa de juro fixa ou mista (a prestação fica fixa por um determinado período e depois fica variável).

Prazo para Pagar o Empréstimo

Renegociar o prazo do empréstimo envolve ajustar a duração total do empréstimo. Podes optar por reduzir o prazo para pagar mais rapidamente, o que geralmente aumentará a prestação mensal, mas reduzirá o custo total do empréstimo em juros.

Por outro lado, podes escolher aumentar o prazo para diminuir as prestações mensais, o que resulta em custos totais de juros mais elevados ao longo do tempo.

Fala com especialistas que te aconselham sobre o que será melhor fazer na tua situação e que tornam a renegociação dos créditos um processo mais fácil, com o teu banco ou outro.

Resumo

O artigo aborda a importância de renegociar os créditos devido ao aumento das taxas de juros, levando muitas famílias a enfrentar dificuldades financeiras.

Menciona a transferência do crédito habitação como uma solução devido à redução do spread. Explora, ainda, a complexidade quando há múltiplas dívidas e sugere que a consolidação de créditos pode ser uma alternativa.

Mostra a necessidade de organização financeira devido a múltiplos pagamentos, evitando a perda de informação, como datas e aumentos das prestações. Alerta para problemas resultantes da falta de pagamento, como atrasos ou incumprimentos, que afetam o histórico de crédito e a capacidade futura para obter crédito.

Descreve o “Mapa de Responsabilidades” como um recurso essencial para analisar todos os créditos, incluindo detalhes sobre os créditos ativos, responsabilidades futuras e créditos liquidados. Explica que os bancos usam esta informação para analisar novos pedidos de crédito.

Destaca, também, a importância de calcular a taxa de esforço, pois ajuda a avaliar se os pagamentos dos crédito estão a afetar o orçamento familiar.

Explica, por fim, que a renegociação de créditos envolve vários elementos, como o spread, o prazo do indexante (Euribor), o regime da taxa de juro (fixa ou variável) e o prazo para pagar o empréstimo. Cada elemento influencia os termos e as condições do empréstimo.

É importante renegociar os créditos devido às mudanças nas taxas de juro e ter organização para uma gestão financeira eficaz.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este website usa cookies para oferecer uma melhor experiência de utilizador. Ao usar este portal, aceita todas as cookies.